terça-feira, 25 de setembro de 2007

Os “Melhores” treinadores de Futebol deveriam estar a treinar os mais jovens?

Esta é uma questão que, com alguma frequência, se coloca quando abordamos o treino com jovens.

Será necessariamente difícil de esclarecer, qual o conceito de “melhor treinador”, para treinar crianças e jovens. Serão estes treinadores os mais populares ou os mais reconhecidos? Ou aqueles que ganharam os últimos campeonatos nacionais da 1ª divisão de Seniores?

Treinar jovens não é o mesmo que treinar adultos. Para treinar jovens, é necessário ter motivação, e ser capaz de estabelecer uma boa relação com os jovens, e conhecer os métodos e os meios mais adequados para o seu desenvolvimento.
Será que o treinador dos seniores teria motivação, empenho e paciência para treinar os Infantis? Será que alcançaria os êxitos desejados com os mais jovens? Será que os clubes estariam dispostos a pagar mensalmente ao treinador dos Infantis aquilo que ele aufere como treinador dos Seniores?
Fazendo uma análise comparativa entre o ensino do Futebol e a formação académica do cidadão comum, poderemos questionar: os professores catedráticos que leccionam nas universidades, é que deveriam estar a dar aulas nas escolas do ensino básico?

Deveremos ser realistas e evitar situações desajustadas, que só viriam perturbar o desenvolvimento do Futebol Infanto-Juvenil.
Os educadores/treinadores dos escalões de formação, terão de ser pessoas qualificadas, habilitadas a treinar jovens, com conhecimento sobre as suas características e os métodos mais adequados para o seu desenvolvimento, que gostem e saibam lidar com os jovens e que sejam devidamente reconhecidos e recompensados pelo desempenho das suas funções.
Porém, a realidade do Futebol Português, é que não são reconhecidas as capacidades dos treinadores que trabalham nos escalões de formação, por mais competentes que estes sejam, originando que se não passarem para o Futebol profissional, nunca irão ser reconhecidos do ponto de vista profissional, social e económico.

Para Rui Caçador (1998), qualquer treinador de Seniores, ganha mais como prémio de jogo, do que o vencimento do melhor treinador da formação, o que leva a que actualmente, todo o treinador que treina os Juniores, esteja a pensar em ir treinar os escalões Seniores.

in O Ensino do Futebol 7 – Um jogo de iniciação ao futebol de 11

3 comentários:

Jorge Brandão disse...

Ser treinador de séniores é totalmente diferente de ser treinador de formação. O treinador de um escalão sénior, na minha opinião, desempenha essencialmente um papel de estratega, isto é, este define a filosofia de jogo, para que nos jogos oficiais a equipe possa vencer o adversário através dos esquemas tácticos pré-definidos. Podemos assim comparar Mourinho a Napoleão :-) Dois estrategas fabulosos. No entanto, Mourinho tal como Napoleão não têm o mesmo exito a ensinar a combater ou a adquirir e desenvolver as qualidades técnicas e fisicas. Essas funções recaem para quem realmente sabe ensinar e formar. Infelizmente esses mestres a ensinar, nunca serão tão bem pagos como os estrategas... Quem sabe se um dia isso mude, mas não acredito...

Anónimo disse...

concordo, eu por exemplo, sou treinador de formaçao, e trabalhei com varios treinadores, e muitos deles apenas destinam o metodo e modelo de jogo. tenho de admitir que tambem aprendi com alguns colegas, mas o essencial nas idades de formaçao é desenvolver e apurar as qualidades t+ecnicas e fisicas dos atletas. e sem duvida que a visao de jogo é muito importante, mas nao o essencial nessas idades.

Americo disse...

Saber ler o jogo é muito importante, claro que o mais importante nessas idades são as qualidades tecnicas, fisicas e mentais do atleta mas, pontualmente chamar á atenção do jogador do que é eficaz para o grupo e do que é ineficaz para o grupo sem massacrar é abrir horizontes necessários á evolução do jogador. É quase como desenhar, o normal é começar a rabiscar depois com o professor e o talento do aluno a soltar-se já começa a desenhar em prespectiva e a várias dimensões.